No c… não!

Chupei tanto aquela buceta que deu cãibra na língua…
Chupava e ela gozava em outra língua: -oh, yes! oh, yeah!
Chibata minha preparada para sua chupeta…
Gozado é que ela gozava e esfregava na teta…
E tudo o que eu lhe pedia era feito sem restrição,
mas quando eu a pegava do avesso ela gritava: -Aí não!

REFRÃO
5x (No c… nãaao!)
Veneno no rabo é coisa de escorpião!
5x (No c… nãooo!)
Veneno no rabo, só o escorpião!

Sentia o sabor do seu sangue na ponta da língua
E ele era doce! Doce, doce, doce como a vida!
-Eu acho que você está diabética, menina…
Todos os seus lábios beijavam docemente
(os grandes e os pequenos!)
Agora chupa! Chupa, chupa, chupa o meu pirulito;
E engole! Gole a gole engole até o palito…
Chupa! Chupa, chupa, chupa o meu picolé,
Que ele não é para toda e qualquer mulher…
-Aproveite! Aproveite: doce-de-leite!
-Aprovei-te, aprovei-te, aprovei-te gala-doce!?
Seus dentes não engatavam marcha alguma!
(-Ela era banguela?)
…e os pelos da vagina eram maior que os do bigode do Belchior!

(REFRÃO)

Anúncios

Sobre louquitetura

Quase palavra que um de nós murmura...
Esse post foi publicado em Música, Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s