Minha outra vez

Minha poeta é uma fingidora 
E finge tão deverasmente
Que chega a fingir que é amor
O amor que deverasmente sente…

Minha musa é uma fingidora 
E finge tão deverasmente
Q ue chega a fingir que é amor
O amor que deveras não sente

Minha corretora bem que poderia
uma vez mais
provar que o amor é demais…

Minha cantora bem que poderia sentir
uma vez mais… o amor que não sentiu jamais.

E minha modesta Terapeuta me diz:
-Eu quero te fazer feliz!
E minha professora diz:
-Te forma e vai ser feliz!
E minha prima manda:
Estão te esperando na varanda!
E era minha vendedora toda boba no dia que eu curti a cachorra!
E era a secretária do vizinho dizendo toda gostosa: 
-Vem meu dengo! mas que transa primorosa!

E eu me apaixonando a cada dia por uma que ei de encontrar de novo!

Anúncios

Sobre louquitetura

Quase palavra que um de nós murmura...
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s